04ago 2011

A alimentação da criança com deficiência

Às 07:30 em Amor Especial

Falaremos um pouco hoje sobre a alimentação de crianças deficientes.

Na verdade o que falaremos implica para todas as pessoas, portadoras de necessidades especiais ou não, mas temos que ter em mente que se nosso filho tem algum tipo de deficiência de qualquer natureza (mental, física, motora) ele precisa de atenção especial em todas as áreas do desenvolvimento e a alimentação com certeza precisa de um cuidado mais que especial.

Negligenciar a alimentação da criança, não se importando com alimentos que tenham elevado teor de vitaminas e nutrientes necessários pode dificultar o seu pleno desenvolvimento. O que estou tentando dizer é que seu filho tiver por acaso deficiência de determinada vitamina no organismo, ele pode ter mais dificuldade de se desenvolver devido a essa ausência de determinado nutriente.

É claro que não temos como garantir que alimentando adequadamente a criança, ela irá se desenvolver no seu potencial máximo, mas com certeza ela terá muito menos chance de ter algum problema de evolução devido a falta de algo importante para o seu desenvolvimento.

Desde sempre tomei cuidado com a alimentação da minha filha, mesmo antes dela apresentar o atual problema de saúde e agora tomo muito mais cuidado, porque quero que o organismo dela tenha todo o suporte necessário para evoluir o máximo possível. Sendo assim procuro evitar ao máximo alimentos industrializados, digo evitar, não restringir, porque qualquer tipo de restrição excessiva pode causar mais danos do que vantagens. De vez em quando ela come uma guloseima ou outra, um petit-suísse, um docinho, uma papinha industrializada quando acontece alguma emergência que me impede de preparar algo natural, mas isso não é rotina absolutamente, é de vez em quando. No dia-a-dia ela toma o seu leite, come frutas, toma suco natural feito na hora, come comida e papinha preparada em casa, com diversos tipos de legumes, hortaliças, raízes e carnes (frango, peixe, carne, miúdos) tudo o que é rico em vitaminas, sais minerais e outros nutrientes essenciais.

Agindo assim sei que estou garantindo todas as vitaminas necessárias ao seu organismo e de quebra estou ensinando a comer de maneira saudável. A Sarah tem mais de um ano já, porém nunca experimentou fast-food, frituras, refrigerantes, massas (tirando o macarrão da sopa) e por enquanto não vejo necessidade nenhuma de oferecer esse tipo de alimento a ela. Não estou julgando nenhuma mãe que não tem tempo ou não pode oferecer esse tipo de alimentação ao seu filho, porém nós mães de crianças especiais precisamos ter em mente que cada detalhe é importante para o pleno desenvolvimento dos nossos filhos e o cuidado com a alimentação é com certeza um fator determinante.

Caso você tenha muitas dúvidas a respeito desse assunto e até mesmo qual tipo de alimentação é melhor para a criança, procure um nutricionista, ele poderá te orientar de acordo com suas necessidades e possibilidades e com certeza te ensinará muitas receitas que poderão ajudar no ganho intelectual, motor e psíquico do portador de necessidades especiais. É possível encontrar profissionais dessa área por preços muito acessíveis, vale fazer um sacrifício e levar o filho ao médico que irá te orientar a respeito desse ponto tão importante na vida de todos.

Até mesmo ajuda de fonoaudilogia e fisioterapia no caso de crianças com dificuldades de mastigar e engolir devido à flacidez na faringe, laringe e até mesmo na língua. Não deixe de procurar quem possa te orientar a respeito desse assunto, tenha em mente que ele é mais do que primordial para toda a vida do seu filho.

Evitar fast-food, sal, açúcar em excesso, frituras, refrigerantes e alimentos industrializados é com certeza a melhor forma de demonstrar amor, cuidado e preocupação para com o ser mais importante das nossas vidas, não descuide desse detalhe, mesmo trabalhando fora, é possível preparar e deixar congelado comida natural e de qualidade para a criança, fora que o sabor de comida preparada na hora nem se compara ao sabor de enlatados e alimentos artificiais. Pense nisso, reflita sobre o assunto e mude o hábito de toda a família se for necessário.

Espero ter ajudado!

Até a próxima com mais novidades.

 

Enviado Por: Renata Coelho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

01 comentário | Adicione o seu

  1. Jana comentou:

    em ago 06, 2011 às 21:39

    Responder

    Parabéns pelo post, muito esclarecedor e instrutivo. BjOs

Comentar

  • * requerido
  • Seu e-mail não será publicado